Conheça Obabiyi, a nigeriana “Miss Muçulmana”

Obabiyi Aishah Ajibola coroada “Miss Muçulmana”. Crédito Beawiharta/Reuters

A Indonésia coroou, na quarta-feira passada (18), a rainha entre as muçulmanas –a nigeriana Obabiyi Aishah Ajibola, vencedora do concurso internacional “Miss Muslimah World”, uma espécie de “Miss Universo” voltada não apenas à beleza física, mas também aos valores religiosos.

Há uma série de questões legítimas nesta notícia. O uso do véu, por exemplo. Enquanto no Ocidente há constante preocupação em relação a essa tradição, vista como uma violação dos direitos humanos, a resposta ao dilema cultural é por enquanto nebulosa. Se é incômodo a não muçulmanos estar diante de uma mulher coberta por panos, me parece que é também difícil a elas ter de ouvir que estão culturalmente equivocadas. Em maio, conversei com as garotas que participaram de um desfile de moda de véus islâmicos (leia aqui) e ouvi delas que são “vítimas de pessoas nos dizendo o que não vestir”. A pensar.

Para além disso, o concurso da “Miss Muçulmana” parece ser uma interessante experiência, ao coroar a mais pia entre as seguidoras do islamismo. É complicado que a competição inclua apenas muçulmanas, excluindo outras participantes, mas a escolha tem também de ser avaliada a partir da noção dominante no islamismo de “umma”, a comunidade. A ideia de “umma” foi uma das importantes inovações teológicas do profeta Maomé, na península Arábica, ao criar uma comunidade ditada não pelos laços familiares ou tribais, mais pela crença em um mesmo deus.

De acordo com o relato da rede de TV “Al Arabiya”, a competição da “Miss Muçulmana” –patrocinada por uma marca de maquiagem específica para mulheres islâmicas– julgou as participantes em critérios que incluem vestimenta, piedade, conhecimento religioso e compreensão do Alcorão. Não há teste do biquíni.

O concurso foi criado pela âncora de TV Eka Shanti há três anos, após sua demissão por recusar-se a retirar o véu durante uma transmissão. “É a resposta aos concursos de miss”, ela disse à agência de notícias AFP. “Há papéis alternativos para as mulheres muçulmanas.”

“Nós só estamos tentando mostrar ao mundo que o islã é bonito”, afirmou a vencedora Ajibola em Jacarta. “Somos livres e o véu é nosso orgulho.”

Comentários

  1. Diogo,piada ne?
    Eleger uma Miss Muculmana com todos estes
    panos,nao poderia ser pela forma escultural do corpo,nao e? Ja que e proibido pela fe
    Muculmana usar biquinis.Mas os homens
    Muculmanos,estes sim,nao precisam ser fieis
    as suas mulheres,nao e? Engracado certas
    coisas .

      1. Recomendo a voce um filme chamado SONIA,
        sobre uma aldeia Muculmana,baseado em
        fatos veridicos,onde uma esposa muculmana
        que NAO traiu o marido e acusada de te-lo
        traido,e e apedrejada ate a morte pela aldeia.No fim ,ja depois de morta,descobrem
        que ela nao o traiu.Interessante,nao e?

        1. Com certeza na época de Jesus no país judeu governado por romanos, mas com leis baseadas no livro devem ter ocorrido eventos semelhantes, Jesus (isha) foi um grande homem ao salvar uma mulher de um desses eventos..

          🙂

      2. Heitor,voce nao tem a menor ideia do que
        voce esta falando.O Hamas por exemplo,
        muculmanos,os membros desta “tribo”
        se casam com menores de idade,11 anos,
        pedofilia pura.No Paquistao,no Afganistao,
        Paises MODERNOS,a poligamia e permitida.
        Leia se voce quiser O Cacador de Pipas.
        Os Muculmanos,em GERAL,nao tem o menor respeito pelas mulheres nos Paises MUCULMANOS,sao tratadas como LIXO.
        Pergunte ao Rivelino,este mesmo,ex jogador de futebol,porque ele saiu fora
        da Arabia MALDITA?
        Eu jogava Tenis com ele na epoca,ha uns
        20 anos atras.Vamos parar por aqui,nao e?

        1. Para que desviar o foco, Fabio? Eu estava falando que tanto no Quaran como no livro a pena para o adultério é a mesma.

          Você que odeia tanto os muçulmanos deveria conversar com um judeu ultra-ortodoxo sobre a aplicação do livro como lei judaica no século I.

          Se Israel não tivesse tanta influência ocidental talvez ainda tivesse tais leis, mas pimenta no olho do outro é refresco.

          Abraço.

          1. Heitor ,a diferenca entre um judeu ortodoxo e um Muculmano e gritante.Comeca que voce
            nao ve nenhum judeu ortodoxo ou qualquer
            outro se explodindo em nome de Allah)(Al Akbar) e achando que vai para o ceu encontrar virgens por la e ter uma vida prazerosa.Voce nao ve em Sinagogas o Rabino pregando o odio contra os Arabes
            cristaos e muculmanos,quando nas mesquitas se prega o fim dos judeus,e
            que nos somos as pragas do Mundo.
            Israel e um Pais de primeiro Mundo e esta
            em 6.lugar como um Pais onde se melhor
            vive no Planeta.Nao vi nenhum Pais Arabe
            nesta lista.Alias,nenhum Pais Arabe ou Muculmano esta na lista de um Pais que
            prospera e que se preocupa com a sua Populacao,muito pelo contrario,nao estao nem ai com a sua Populacao.Aonde esta
            a Pimenta?nos olhos de quem?

          2. Turquia, já ouviu falar?

            A Líbia e o Egito eram os países com maior IDH da África.

            Aliás, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Bahrain, Kuwait, Arábia Saudita, Líbia, Malásia, Cazaquistão, Irã e Omã estão na frente do Brasil em termos de qualidade de vida, mas para você e sua cegueira patológica nenhum país muçulmano é bom para se viver, enfim, felizmente a ONU está ai para demonstrar isso.

            Enfim, espero que viva em Israel que está em 16º (não 6º como tu disse), pois se tu vive aqui no Brasil, saiba que todos esses países estão na nossa frente.

            fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_%C3%8Dndice_de_Desenvolvimento_Humano

          3. Voce nao sabe ler ARABE,e quer que eu te mostre onde esta escrito? Pergunte la na
            Mesquita que voce frequenta.Eles vao te
            informar direitinho.So voce nao sabe deste
            papo de encontrar as virgens no Paraiso.
            E voce se diz Muculmano? entao ta.

          4. Heitor,ONU? Cara,vamos parar por aqui.
            Israel e o 6.Pais no Mundo que tem o melhor
            padrao de vida.Voce compara com o Brasil?
            Piada de mau gosto.Sao 190 milhoes de ignorantes que votam em uma Dilma para
            Presidente.Parabens a voces.Voces merecem. O Lula vem ai,podem apostar.
            E voce acha mesmo que eu moro no Brasil?
            Ame-o ou deixe-o lembra deste slogan?
            Pois e,eu deixei,nao pensei 2 vezes.

          5. Você tem que provar, pois é você que está alegando essa coisa das virgens, não eu Oo

            Israel e o 6.Pais no Mundo que tem o melhor segundo quem? qual sua fonte? da onde inventou isso?

            Sou muçulmano desde o dia que fiz a chaada, infelizmente o árabe, assim como o hebraico, é uma língua difícil, quem me dera aprender rápido.

            Quem bom que vive em Israel, mas eu vivo no Brasil e comento aqui, pois é um jornal brasileiro, se odeia o Brasil também e o deixou, por que se presta a vir nesse blog?

          6. Heitor,aonde eu disse que eu ODEIO o Brasil.Nao ponha as palavras na minha boca.
            E tipico de voce.E nao tenho que comprovar
            nada para voce.Se voce nao sabe nada da
            sua nova religiao,e porque voce realmente
            precisa se dedicar mais.Voce ,obviamente,
            nao conhece Israel,e provavelmente,nem sabe onde fica.Pergunte ao Diogo Bercito
            a opiniao dele sobre a vida em Israel.Quem sabe ele pode te dar umas
            boas explicacoes de como este Pais em apenas 60 anos faz inveja ao Mundo Arabe retrogado e atrasado,que vive no
            tempo das pedras.

          7. Ame-o ou deixe-o, deixei sem pensar duas vezes, 190 milhões de ignorantes”

            Se isso não é odiar não sei o que é kkkkk amor, com certeza não é.

            Justamente por eu ter estudado o islam, coisa que sigo fazendo sempre, que eu sei que essa história da virgem não existe e por isso te desafio a provar, pois tu nunca conseguirá, afinal isso simplesmente não existe no Quaran.

            É como aquela história que os judeus são donos da mídia, nunca ninguém tem como provar isso, por que simplesmente não existe, é uma mentira para denegrir o povo israelita, qualquer pessoa racional que pesquise vai descobrir isso (eu pesquiso) e também descobrirá o mesmo da história das virgens, infelizmente seguirão usando essas histórias uns contra os outros.

            Abraço.

  2. Diogo, aparentemente muito bom o concurso, infelizmente eu nem sabia da existência dele, se não teria tentado acompanhar.

    Quanto ao uso do véu, é um debate sem fim, acredito que os dois lados tem pontos positivos e negativos. (Minha esposa usa por que quer, até por que o Quaran não cita nunca que alguém deve impor-lhes isso! É decisão da mulher.)

    O ocidente as vê como oprimidas, as muçulmanas as veem como objeto (panicats que o digam…)

    Eu prefiro me focar na questão da liberdade de uso, creio ser um abusurdo querer impedir alguém de expressar sua fé pelo véu (hijab), ou usar crucifixo, fitinha de são jorge, oferenda das religiões afro.

    E o contrário também é válido, se quiserem usar shorts, mini-saia, biquini, vestido transparente, estão no seu direito.

    Assim como as drogas, casamento gay, aborto, tudo deveria ser legalizado e permitido, cada um sabe o que faz e a liberdade de escolha deve ser permitida, o que ocorrerá no juízo final só Deus sabe, ele faz o que lhe apraz e cada um pagará.

    Aqui temos os evangélicos querendo impedir isso, assim como tem os fanáticos no Oriente Médio.

    As pessoas ficam chocadas, não conseguem compreender como posso ser muçulmano e não querer impor meus conceitos a eles.

    Bem, basicamente penso que eu não gostaria que me fosse imposto nada (já odeio os que pago ao governo, adoraria ter a opção de não pagá-los, dispenso os serviços oferecidos pelo Estado).

    Se partimos dessa premissa talvez o mundo fosse melhorzinho, afinal só o Altíssimo pode julgar e será dele a decisão no dia do juízo.

    Como já citei no artigo anterior, o Quaran nos diz que a religião é livre e não deve ser imposta, então por que impor nossos conceitos aos outros?

    Acredito que aqueles que impõe suas leis, não importa a religião, serão castigados.

    Abraço.

    1. Diogo, só fui parar para pensar nisso agora, países muçulmanos não participam do miss universo ocidental?

      Abraço.

      1. Heitor, não sei quais são as regras. Olhando no site oficial, vi que há uma candidata libanesa. Mas pode ser cristã, é claro. Boa pergunta.

        1. Diogo,a candidata Libanesa e de origem crista,porque se for de origem Muculmana e tirar a roupa (biquini) a enforcam em praca
          publica.Porisso nao ha a menor possibilidade
          de uma MUCULMANA participar de uma eleicao a Miss Universo Ocidental.

        2. Diogo, tem uma participante da Turquia 🙂

          Como sempre a Turquia dando exemplo e calando os fanáticos de ambos os lados.

          Abraço.

          1. A Turquia e um belo exemplo mesmo.Tai
            um Pais Democratico que aos poucos com
            este imbecil deste Edrogan vai se tornar
            Muculmano e deixar de ser democratico.
            E questao de pouco tempo.

          2. Concordo com Fábio de Israel sobre o Erdogan, um imbecil de carteirinha; mas discordo do Heitor que diz com tanta certeza que o Erdogan e a Dilma não serão reeleitos. Oxalá estivesse certo. Mas, na política tudo é incerto. Eles fazem lavagem cerebral no povo inculto, dão uma cesta básica aqui e outra ali, com uma bolsa isso e uma bolsa aquilo conseguem se perpetuar no poder como fazem todos o líderes espertalhões e pseudo democráticos que conhecemos mundo afora.

          3. Veremos após as eleições quem estará certo..

            Vocês realmente acreditam que a oposição lá e cá vai simplesmente ignorar e não usar os protestos?

            Por favor né..

  3. Diogo, tenho uma dúvida básica e gostaria que me ajudasses a esclarece-la: Por norma um Mulçumano está proibido de consumir bebidas alcoólicas mas segundo os meus estudos, o Alcorão não proibe explicitamente esse acto! Então, de onde veio esta norma? Se estiver errado peço desde já desculpas!

    1. Caro Dilson, não sou especialista em islamismo. Mas me parece que a ideia por trás da proibição do consumo de bebidas alcoólicas é impedir que o corpo deixe de estar sujeito à mente. O islã insiste em que o corpo que habitamos é uma dádiva divina e não nos pertence, de maneira que não estamos autorizados a feri-lo (por exemplo, fumando ou fazendo tatuagens). O Alcorão, se não me engano, proíbe o uso de substâncias que confundam os sentidos, o que parece ter sido interpretado como uma proibição ao consumo de álcool. Mas sugiro que você faça uma pesquisa mais detalhada –por que você não vai à mesquita e depois nos conta? Se quiser, publico seu relato aqui. Um abraço.

      1. Dilson, o Quaran proibe explicitamente o consumo de substância inebriantes.

        5ª SURATA “AL MÁIDA” (MESA SERVIDA)

        90 Ó fiéis, as bebidas inebriantes, os jogos de azar, a dedicação às pedras e as adivinhações com setas. São manobras abomináveis de Satanás. Evitai-os, pois, para que prospereis.

        Abraço.

        1. Mas me parece que o termo em árabe tem tradução controversa, Heitor. Pode ser, pelo que li, que se referisse apenas a fermentados, por exemplo. Acho que a ideia de proibir o álcool em si é posterior. É um bom assunto para pesquisa.

          1. Meu árabe é fraco ainda, não tenho tido tempo para aprendê-lo, mas irei ver isso na mesquita também.

            Fico feliz que me ajude na pesquisa.

            Abraço.

          2. Por exemplo , se voce e’ de um culto que evoca satanas e’ evidente que voce vai ter orgulho e se sentir o maximo com uma tatuagem do danado no meio das suas costas!

            O diogo falaria que isso e’ “um dilema de etnocentrismo e relativismo cultural. ”

            Mas ele fala isso so’ porque esta’ se referindo aos mulcumanos. Mas se fosse concuros miss diabo o que ele acharia??

            E’ tao logico que chega a ser enfadonho!

        2. Heitor,
          eu acho que qualquer coisa que e’ imposta e’ incorreta. Eu acho que, dada a informacao, se o sujeito quiser encher a cara ate’ morrer, desde que ele nao atrapalhe outros, isso e’ problema dele.

          1. Concordo, Marcio, bebe quem quiser, só estou respondendo a pergunta do amigo…

            Muitos muçulmanos bebem, fumam e etc.. Eu só respondo por mim, você colocaria a mão no fogo por alguém hoje em dia?

            Abraço.

            Diogo, fui pesquisar: O alcool em si foi gradativamente proibido no Quaran, primeiro as pessoas foram banidas por irem alcolizadas (4:43)

            Nada mudou, então em 2:219 Quando Deus disse que isso é mais maléfico que benéfico.

            Finalmente em 5:90-91 foi, segundo a interpretação, totalmente banido.

            Abraço.

          2. Heitor, muito obrigado pela sua explicação. Realmente nunca havia conseguido obter uma explanação tão clara e concisa e acompanhada com citações ao Alcorão como a publicada hoje por si.
            Um Abraço

            DS

  4. Bom dia, Diogo.

    Excelente a iniciativa desse concurso!
    Valorizar não só a beleza física é algo extraordinário nos dias de hoje no Ocidente.

    Sobre o uso do véu, impor seu uso é tão grave quanto impor não usá-lo.
    Não há nada de errado em uma mulher querer usar o véu. Errado, me parece, exaltar a vulgaridade e a banalidade do corpo.

    Democracia é aceitar e respeitar as diferenças e conviver pacificamente com elas.

    Abraços.
    A.

  5. Em qualquer religião há a “lei” (em geral um livro sagrado), a interpretação dada pelas autoridades religiosas, e a “tradição” (costumes arraigados que não estão no livro sagrado).

    Em relação à interpretação das escrituras, as autoridades religiosas de determinada linha escolhem que parte do seu livro sagrado decidem seguir e a que parte farão vista grossa.

    Exemplo: na cultura judaico-cristã, a bíblia considera uma abominação comer frutos do mar, mas os cristãos desconsideram esta orientação, que é seguida por judeus religiosos.

    Na religião católica os sacerdotes não podem se casar, mas isso não está escrito na bíblia, é apenas uma tradição arraigada.

    Não conheço o Islã, mas suponho que, da mesma forma, há práticas que fazem parte do Corão e outras que foram incorporadas pela tradição.

    No ocidente sabemos que é um erro considerar que “todo cristão é igual” colocando no mesmo balaio Edir Macedo, Leonardo Boff, o Papa, Ortodoxos, Luteranos, Maronitas etc. Todas estas tradições giram em torno de um conjunto central de crenças, mas são extremamente diferentes entre si.

    Não cometamos o mesmo erro. Fora do núcleo central da religião, nem sempre as diferentes tradições muçulmanas compartilham exatamente as mesmas crenças e costumes.

  6. “vista como uma violação dos direitos humanos, a resposta ao dilema cultural é por enquanto nebulosa”
    “me parece que é também difícil a elas ter de ouvir que estão culturalmente equivocadas.”

    Diogo,
    Nao tem nada de dificl ou complicado. Obrigar uma mulher a se vestir seja la’ como for por razoes religiosas, seja la’ qual for a religiao, e’ , sem a menor sombra d eduvida, violacao dos direitos da mulher.

    Nao tem nada de cultural neste quesito.

    Falar que elas “gostam” de usar o veu e’ evidente que “gostem”. E’ a unica coisa que veem ao seu redor! Nao quer dizer que e’ correto.

    Assim como era normal mulher nao votar e nao trabalhar, era a unica coisa que elas viam ao seu redor!

    Logiquinha basica.

    1. Márcio, com o perdão do abuso, mas vou te sugerir que discuta essa questão com algumas mulheres muçulmanas. Há diversas no Twitter no Facebook, ativistas de movimentos de “muslimah pride”. A questão do véu é, além de pouco óbvia, um dilema de etnocentrismo e relativismo cultural. E não é nem de longe o problema urgente das sociedades islâmicas (no Egito, a maioria tem o clitóris mutilado).

      1. Diogo,
        Nos anos 60 tambem havuia um status em fumar! Todo mundo fumava, obvimanent o menino quando se tornava homem tinha “pride” em comecar a fumar.
        Mas so’ porque todo mundo ao lado dele o fazia, mas o cigarro ainda assim era nocivo a saude.

        Hoje o cara fuma e sabe que temuma boa chance de ficar doente, mas ele sabe!

        Escolher sabendo e’ bem diferente de ter pride por algo imposto religiosamente.

        Po Diogo, essa e’ muito facil de entender, nao tem nada complexo. DO contrario indio estaria andando pelado no meio de sao paulo tambem!
        Em san Francisco voce pode andar nu se voce quiser. por escolha!

      2. “no Egito, a maioria tem o clitóris mutilado”
        Excelente exemplo!!
        Se voce vive em um lugar, no qual, voce aprendue que ter o clitoris removido e’ normal, todo mundo vai querer ter e terao ate’ pride de remover.
        Mas nao quer dizer que a mulher teve escolha.
        A diferenca e’ que usar o veu nao doi!

          1. Heitor,
            eu nao tenho nada contr ao veu.
            Eu so’ estou falando que se tirarmos a religiao do caminho e falar para uma mulher que ela pode faze ro que quiser ,estatisticamente, eu acho que a maioria nao vai quere usar o veu toda hora.

            Por definicao, qualquer coisa no uiverso que e’ imposta nao pode ser natural.

            Mas algume diz que o veu nao e’ imposto e que elas usam por ogrgulho. Mas isso e’ incorreto, e’ imposto pela religiao.

            A logica e’ muito simples mesmo.

          2. Não vejo como imposto, o Quaran diz que a mulher deve usar, mas muitas não usam, por mim estão no direito delas, outras usam, como tu disse por orgulho, enfim, creio que cada cabeça é uma sentença.

            Deus disse a Adão e Eva que não deviam comer do fruto proibido, alguma coisa os impediu? Isso foi imposto de fato?

            Desde Abraão, temos tidos leis de Deus para nos orientar, dizendo seus conceitos, mas se vamos seguir ou não, cada um que vai decidir.

            Abraço.

          3. Heitor
            Se o Koran dissesse que mulher deveria andar topless como seria?
            Se Jesus tivesse sido morto por um revolver nao uma Cruz, os cristãos andariam com um revolver no pescoço ao invés de uma Cruz?
            E’ evidente que o véu e’ uma imposição! As pessoas falam que usa. Por orgulho, mas se o véu nao fosse me violado no koram então elas nao usariam!
            Percebe?

  7. Tambem existe aqueles que demonizam a beleza fisica.
    Desde quando ser bonita e’ algo errado??
    Nao existe nada de errado em ser bonita, em mostrar beleza. Errado esta’ em dizer o que uma mulhe rpode ou nao fazer, deve ou nao deve usar.

  8. Na verdade ninguém é contra os véus e sim andar mascarado, muitos assaltos já foram feitos por pessoas com máscara ou cobrindo o rosto. Em Paris já vi em um restaurante uma mulher de Niqab comendo macarronada, um absurdo, a coitada se sujou toda, enquanto isso o marido comia despreocupadamente sem se sujar. Obs. Niqab é quase uma burca, só se vê os olhos. Se a coitada olhar para o lado em direção a um homem quando chegar em casa o pau come.

    1. Jose, o Quaran não fala nada sobre o niquab ou a burca, somente o véu, essas duas são mais da cultura árabe, pois já existiam antes mesmo do Profeta.

      Abraço.

    2. Jose Antonio,eu vi num Restaurante em Londres,uma Muculmana sentada de lado
      para a parede,enquanto o marido comia
      e se lambuzava normalmente.O nome do
      Restaurante? LEBANESE.Excelente por sinal.
      Ela tambem se sujava toda,e toda hora tinha
      que puxar o veu do rosto que a incomodava.
      E ele,o marido,nao era com ele.

      1. Fabio. A maioria dos muçulmanos come com a mão, não vejo nenhum problema nisso, pode argumentar que é falta de higiene, mas ironicamente enquanto os europeus tomavam um banho por ano, os países muçulmanos nos lavamos 5 vezes ao dia.

        Sem falar que Jesus (que a paz esteja com ele), serviu a ceia final com as mãos.

        1. Heitor,realmente mostra como os Muculmanos sao educados e limpos.
          Nao e atoa que eu digo sao Paises atrasados e retrogados.Tai a quantidade
          de moscas e doencas em todos estes Paises com uma taxa de mortalidade infantil impressionante.Pois nem saneamento basico tem nestes Paises.Comparar com a Europa ,seja qual for aepoca que estamos falando e piada,ne?

          1. Qual fonte diz isso? O ranking de mortalidade infantil aponta países africanos como os com maior mortalidade infantil..

            “Entre os séculos XVI e XVII, europeus acreditavam que a água fosse capaz de se infiltrar no corpo , especialmente a água quente ,enfraquecendo os órgãos internos e abrindo os porospara os ares que faziam mal à saúde.Daí o banho não ser muito popular .

            Enquanto em todo Oriente , sobretudo entre os mulçumanos, a lavagem do rosto e das mãos era um ritual obrigatório havia séculos , os banhos não faziam parte da rotina das sociedades européias. Um dos motivos dessa atitude estava na concepção religiosa de que o corpo era fonte de pecado.”

            fonte:PILLETI, Nelson, Toda História – História Geral. Editora Ática, 17ª edição, São Paulo, 2007, pg. 134

          2. Heitor,a fonte? EU.Voce conhece o Cairo?
            ja esteve no Egito? Voce e demais.
            O dia que voce sair de casa,vera que o
            Mundo nao e la essa maravilha toda.
            Tem cada um aqui.Voce conhece MONGAGUA?
            Praia Grande? Esse e o teu conhecimento?
            parabens.

        2. Heitor,voce diz que a Mortalidade infantil
          maior no Mundo e na Africa,correto?
          Voce sabe por acaso onde se encontra o
          Egito? voce sabia que 80.000.000 habitantes
          la vivem abaixo do nivel de pobreza?
          Voce precisa estudar URGENTE Geografia.

          1. Não se faça de bobo, Fabio 🙂

            Eu falei Africa, mas evidente que é a África negra, subssariana, o Egito fica no magreb, África do norte e lá todos tem IDH superior e mortalidade infantil muito menor…

            Quer falar de quantidade? Na China 200 milhões de pessoas vivem abaixo da pobreza… Aqui 10 milhões.

            Aliás, você sempre inventando coisas, segundo a ONU 2% dos egípcios viviam abaixo da linha da pobreza…

            fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Poverty_threshold

            Ah, antes que fale da ONU, não cuspa no prato que comeu, lembre-se que a ONU, que tu ataca agora, e Osvaldo Aranha ajudaram muito na criação de Israel, se não me engano tem uma praça com o nome dele em Telaviv ou Jerusalém.

          2. Ah Fabio, meu amigo, quem me dera frequentar a praia grande e outros lugares assim haha, que tal jurerê internacional em Floripa?

            Não sou demais, sou um cara comum, mas fico feliz pelo elogio e te digo que tu é demais também 😉

            Só nos dois para passarmos o sábado de manhã aqui trocando farpas, cara isso me lembra os tempos do orkut, mas não tinha moderador as conversas eram mais rápidas.

            Enfim, nos vemos amanhã, tenho a reza do meio-dia e vou tratar de desligar um pouco o note.

            Tenham todos uma boa tarde.

    1. Fábio, mas não é cruel a gente se esquecer de que a Somália é vítima de um governo fracassado e um clima árido, além de ter sido vítima, é claro, da interferência europeia? Pessoalmente, acho que esse pano de fundo é mais propenso ao extremismo do que uma religião.

  9. Diogo Bercito,e 1 caso em DEZENAS de Paises voltados ao Islam,o que e muito
    pior.Voce viu quem o Quenia pediu ajuda?
    Israel.E e claro,ja mandamos um “time”
    especial para dar cabo neles.AL QAIDA,
    tudo gente boa.

  10. O grande problema é que o Heitor faz comparações absurdas, ele fala da Europa medieval e dos islâmicos na mesma fase.
    Os islâmicos continuam naquele tempo, não evoluiram, nós no ocidente estamos no século XXI. Heitor veja de onde vem as 72 virgens, eu sou judeu e sei que no Corão não é citado o numero e sim nos Hadiths, documentos aceitos pelos muçulmanos, falam da vida do profeta.
    Supondo que a religião islâmica realmente assegure 72 virgens aos que morrem em nome de Alah, será que esta graça está reservada aos mártires ou é estendida a todos os fiéis que adentram o paraíso? E de onde vêm 72 mulheres virgens para cada homem do reino dos céus? São as almas das mulheres que morreram imaculadas que vão ao céu servir os mártires? Se não, o que reserva o céu às mulheres mártires? maridos perfeitos que nunca se esquecem de abaixar a tampa da privada? Pensando em todas estas questões decidi pesquisar um pouco mais sobre o paraíso islâmico.

    Comecei pelo Alcorão. O livro máximo da religião islâmica não deixa dúvidas de que o paraíso islâmico é um lugar bastante sensual, mas nada é dito sobre a quantidade de virgens que aguarda os eleitos.

    “E se deitarão sobre leitos incrustados com pedras preciosas, frente a frente, onde lhes servirão jovens de frescores imortais com taças e jarras cheias de vinho que não lhes provocará dores de cabeça nem intoxicação, e frutas de sua predileção, e carne das aves que desejarem. E deles serão as huris [virgens] de olhos escuros, castas como pérolas bem guardadas, em recompensa por tudo quanto houverem feito. (…) Sabei que criamos as huris para eles, e as fizemos virgens, companheiras amorosas para os justos.”
    Alcorão, surata 56, versículos 12-40.
    (todas as traduções deste texto foram feitas a partir do inglês)

    São inúmeras as passagens como esta que mencionam a existência no paraíso de jóias, criados jovens e cheirosos, vinho (uma extravagância, já que o islã proíbe consumir bebidas alcoólicas em vida), rios de leite, rios de mel, rios de água (que costuma ser coisa preciosa nos países muçulmanos), frutas abundantes e moçoilas virgens para fazer “companhia” aos justos… Comparado ao paraíso cristão, com seus anjos assexuados de aparência andrógina tocando harpa e entoando cânticos (quando não estão em missão para destruir alguma cidade ou coisa assim), o céu islâmico parece o Club Med dos paraísos.

    Só que diferentemente da Bíblia, que é a única fonte autenticada pela Igreja das palavras de Deus, na religião islâmica o Alcorão é complementado pelos hadiths, uma coletânea de histórias sobre tudo o que supostamente disse ou fez o profeta Maomé durante sua vida, que circularam no boca a boca por mais de um século até serem redigidas em sua forma atual. É aí, nessa barafunda de textos, às vezes antagônicos, que vamos encontrar mais detalhes sobre o paraíso islâmico, incluindo o número de virgens com que os eleitos são agraciados:

    “A menor recompensa para aqueles que se encontram no paraíso é um átrio com 80.000 servos e 72 esposas, sobre o qual repousa um domo decorado com pérolas, aquamarinas e rubis, tão largo quanto a distância entre Al-Jabiyyah (hoje na cidade de Damasco) e Sana’a (hoje o Iemem)”
    Hadith 2687 (Livro de Sunan, volume IV).

    Se esta é a menor recompensa que aguarda os felizardos no paraíso, então é certo que os servos e as virgens não foram parar lá por mérito. Quem sabe fossem candidatos ao inferno (não dizem que “é melhor reinar no inferno que servir no paraíso”?). No caso das virgens isto faria todo o sentido, já que a rotina delas no céu não é moleza; sobre isso escreveu Al-Suyuti, um renomado comentador do Alcorão e estudioso dos hadith, no século XV:

    “Cada vez que se dorme com uma huri descobre-se que ela continua virgem. Além disso o pênis dos eleitos nunca amolece. A ereção é eterna. A sensação que se sente cada vez que se faz amor é mais do que deliciosa e se você a experimentasse neste mundo você desmaiaria. Cada escolhido se casa com setenta huris, além das mulheres com que se casou na terra, e todas têm sexos apetitosos.”

    Para as virgens o paraíso islâmico é mais ou menos como uma versão pornô do mito de Prometheus (aquele do titã que tinha seu fígado devorado todos os dias por uma águia), só que é o hímen das jovens donzelas, e não o fígado do titã, que se regenera perpetuamente.

  11. “Só que diferentemente da Bíblia, que é a única fonte autenticada pela Igreja das palavras de Deus, na religião islâmica o Alcorão é complementado pelos hadiths, uma coletânea de histórias sobre tudo o que supostamente disse ou fez o profeta Maomé durante sua vida, que circularam no boca a boca por mais de um século até serem redigidas em sua forma atua”

    Concordo. Parce mesmo ser essa a questao. Parar no tempo.
    Acho que porisso temos ainda costumes considerados inadequados para um mundo mais moderno.

  12. Admiro este blog do Diogo. Tenho aprendido muito sobre o Oriente.
    Aliás, nos comentários consigo enxergar o quanto a intolerância é forte.
    Fico pasma de ver o quanto os radicais são iguais em essência. Para eles o melhor seria exterminar o outro, o diferente. É muito triste!!!
    Eu pergunto: Qual a diferença entre um radical islâmico e um Fábio de Israel que comenta neste Blog???
    NENHUMA DIFERENÇA! Pelo visto, por ele todos os muçulmanos deveriam sucumbir!
    Na intolerância e na violência são todos iguais!
    Aliás por isto que este mundo está cada vez mais violento e sombrio!
    Mas sou uma otimista: sei que com a evolução humana, um dia a tolerância com as diferenças e a opção pela paz vai prevalecer!
    Aqueles que apostarem sempre na violência vão ser um dia a minoria!!
    O ódio só alimenta o ódio e o sectarismo é uma praga que um dia tem que acabar!
    Abraços solidários para todos e tentem colocar a mão na consciência antes de postar mensagens tão sectárias e insanas!

Comments are closed.