Orientalíssimo

por Diogo Bercito

 -

Blog sobre o Oriente Médio, é produzido por Diogo Bercito. O repórter foi correspondente da Folha em Jerusalém e é mestre em estudos árabes pela Universidad Autónoma de Madrid.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Mickey Mouse jihadista

Por Diogo Bercito

[youtube TrieBhaGgHM nolink]

“É, minhas caras crianças. Perdemos nosso querido amigo Farfour. Ele foi martirizado enquanto defendia sua terra, a terra de seu pai e de seus antepassados.”

O texto, lido por uma criança, é exibido no último capítulo de “Pioneiros do Amanhã” –um programa infantil transmitido pelo canal “Al Aqsa” a partir de 2007 na faixa de Gaza, território palestino sob o controle do grupo extremista Hamas.

Farfour era a estrela do show. Uma versão de Mickey Mouse, em fantasia genérica. Um rato preto, de voz fina, dançando pelo palco enquanto finge lançar granadas e disparar com uma metralhadora. Farfour significa “borboleta”, em árabe coloquial.

O fofo rato gigante ensina crianças a realizar suas preces diárias e beber leite, como informa aqui o blog das Forças de Defesa de Israel, que escreveram recentemente sobre o programa. Mas Farfour também lembra os pequenos espectadores de que é importante resistir contra a ocupação do território palestino.

“As pessoas resistem com firmeza, cantando isso para você. A resposta é uma AK-47. Nós não conhecemos o medo, somos os predadores da floresta”, diz o ratinho, enquanto finge lançar uma granada.

Após controvérsia, o canal retirou o programa do ar. Mas despediu-se em um episódio assustador –Farfour recebe de seu avô, no leito de morte, a missão de recuperar a terra perdida. Durante sua resistência, ele é interrogado e martirizado.

O programa continuou sem Farfour. Ele foi substituído pela abelhinha Nahoul –que morreu a caminho do hospital, presa na faixa de Gaza pelo bloqueio israelense. Seu substituto, o coelhinho Assoud, também morreu em Gaza, após um ataque israelense.

“Parece o Mickey Mouse. Ele fala como o Mickey Mouse. Mas você acha que Mickey Mouse iria ensinar crianças a lutar contra os EUA?”, pergunta um apresentador da FOX, em reportagem aqui sobre os “Pioneiros do Amanhã”.

“Nós vamos libertar al-Aqsa, in shah Allah”, diz o rato. Al-Aqsa é a mesquita próxima ao Domo da Rocha, em Jerusalém (“al-Aqsa” significa “a mais distante”, em árabe). “Vamos libertar o Iraque, in shah Allah”, continua. “In shah Allah” significa “se Deus quiser”, em português. “Vamos libertar os países muçulmanos invadidos por assassinos.”

Diane Disney Miller, filha de Walt Disney, comentou à época para a imprensa que “estamos lidando aqui com pura maldade, e você não pode ignorar isso. Não é apenas sobre Mickey, é sobre doutrinar crianças assim. O mundo ama crianças, e isso vai contra o grão da humanidade”.

O diretor do programa, Fathi Hammad, respondeu –“estamos tentando colocar em nossas crianças memórias do interesse no fim do sítio contra nosso povo e o fim do apoio para a entidade usurpadora de nossa terra. O povo palestino vai continuar a lutar”.

PS – Alguns leitores comentam que esse assunto não é recente. Voltou a ser discutido, porém, no aniversário de seis anos do programa. O relato da IDF é de algumas semanas atrás.

Farfour, o ratinho jihadista

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade