Por projetos pedagógicos, professores brasileiros concorrem a prêmio de US$ 1 milhão nos Emirados

Os professores brasileiros Rubens Ferronato e Diego Mahfouz Faria Lima são finalistas do Global Teacher Prize, que premia contribuições excepcionais no campo da educação. O troféu, com o apoio do premiê dos Emirados Árabes, Mohammed bin Rashid Al Maktoum, será entregue em 18 de março em Dubai — com o aporte de US$ 1 milhão, equivalente a R$ 3,1 milhões. A informação é da Anba, a Agência de Notícias Brasil-Árabe. São no total 50 finalistas, incluindo os brasileiros.

Ferronato desenvolveu em 2000 um material pedagógico para ensinar matemática a alunos com deficiência visual. O Multiplano –uma placa perfurada com pinos de plástico e hastes– permite ensinar até 108 conceitos. O material é utilizado na Escola Estadual Dom Pedro 2°, em Curitiba. Há planos de adaptar essa placa a outras línguas e implementá-la em dezenas de países.

Multiplano, material didático utilizado para ensinar alunos com deficiência visual. Crédito Divulgação

Segundo o site do prêmio:

Quando Rubens teve um aluno deficiente visual em sua sala, descobriu que os métodos tradicionais de ensino não funcionavam. Ensinou, então, descrevendo a informação. Quando teve de ensinar tabelas e gráficos, não encontrou nada que pudesse ajudá-lo, até que viu uma placa perfurada: visualizou um plano cartesiano e simplesmente adicionou rebites e elásticos. O aluno lhe disse: “Você não inventou um material didático só para mim, e sim para todos os alunos com deficiência visual no mundo”. O Multiplano inventado por Rubens é utilizado em mais de 200 escolas em todo o Brasil.

Já Faria Lima foi indicado devido ao seu trabalho na Escola Municipal Darcy Ribeiro, em São José do Rio Preto (SP). O colégio, outrora conhecido pela evasão de estudantes, tornou-se referência na região, segundo a Anba. Com a chegada de Faria Lima em 2014, a evasão de alunos foi de 200 para 2 em só um ano. A estratégia inclui projetos extra-curriculares e atividades aos finais de semana. A página da BBC Brasil publicou neste mês quatro sugestões de Faria Lima para a educação.

Diego Mahfouz Faria Lima, indicado a prêmio nos Emirados Árabes. Crédito Arquivo Pessoal

Segundo o site do prêmio:

Quando Diego chegou à escola, pais tinham medo de matricular suas crianças e a rotatividade de professores eram altas. Educadores puniam em vez de recompensar os estudantes. Diego mudou a escola ao envolver alunos, pais, professores, funcionários e comunidade. Ele implementou uma série de projetos para melhorar a escola. Um sistema de carteirinha de estudantes reduziu as faltas. A abertura da biblioteca à comunidade, atraindo doações de toda a cidade, melhorou a leitura dos estudantes. Hoje os alunos sentem que têm uma voz e a maior parte dos pais participa das reuniões. A escola tem o seu lugar na comunidade e todos sabem que são bem-vindos.

O Global Teacher Prize, organizado pela Funcação Varkey, premiou em 2015 a americana Nancie Atwell. A palestina Hanan Al Hroub venceu no ano seguinte e, em 2017, venceu a canadense Maggie MacDonnell –quando também foi finalista o brasileiro Wemerson Nogueira.