Trump beija Netanyahu em um mural de Belém

Por Diogo Bercito

Donald Trump beija Binyamin Netanyahu na boca.

A imagem, retratando o presidente americano e o primeiro-ministro israelense em um momento de fictícia intimidade, com algo de timidez, foi recentemente desenhada no muro de concreto que separa a Cisjordânia de Israel e causou tamanho alvoroço que foi rapidamente removida.

O responsável foi o artista australiano Lushsux, que pintou o muro em Belém para atrair atenção à crise humanitária na região — registrada pela Folha em uma reportagem em setembro. Israel ergue essa barreira de 764 quilômetros desde 2002 para se separar dos territórios palestinos da Cisjordânia, alegando necessidades de segurança depois da Segunda Intifada (2000-2005).

O muro cortou vilarejos palestinos ao meio, separou famílias e, hoje, impede a passagem. Por outro lado, reduziu o número de atentados de 457 (2002) a 12 (2010).  À agência de notícias Reuters Lushsux afirmou que escolheu o tema exatamente pela polêmica. “O muro é a mensagem em si. Não quis escrever ‘Libertem a Palestina’ ou algo assim, direto, que as pessoas vão ignorar.”

Há outros grafites retratando Trump no muro. A imagem abaixo, feita pelo fotógrafo da Folha Lalo de Almeida, mostra o presidente tocando o concreto e pensando “Vou construir um irmão para você”, em referência a seus planos de erguer uma barreira entre os EUA e o México.

Mural em Belém mostra presidente Trump acariciando muro. Crédito Lalo de Almeida/Folhapress

O desenho de Lushsux foi coberto por tinta no domingo (29), por ora não se sabe por quem. O artista publicou uma foto da intervenção, ironizando: “Novas obras modernistas israelenses”.

Em seguida, desenhou por cima o rosto do premiê Netanyahu fazendo sinal de joia com o polegar.