Fotógrafo sírio promete não ir aos EUA durante governo Trump

Por Diogo Bercito

O fotógrafo sírio Khaled Akil, conhecido por suas montagens de Pokémons na guerra de Aleppo, disse nesta semana que não irá aos Estados Unidos enquanto durar o governo de Donald Trump. A promessa, noticiada pela rede árabe Al Jazeera, é uma resposta às medidas migratórias anunciadas na sexta-feira (27), afetando os cidadãos de sete países de maioria muçulmana, como a Síria.

A ausência de Akil coincidirá com a exposição de seu trabalho mais recente em uma universidade no Estado da Califórnia. Ele vive na Turquia há cinco anos, durante os quais pediu o visto aos EUA em duas ocasiões — sendo rejeitado em ambas.

“Eu entendo que eles queiram interrogar as pessoas e eles têm o direito a saber quem está vindo, mas dar uma ordem racista como essa para nos impedir a todos é agonizante”, ele disse à Al Jazeera. As medidas aprovadas por Trump darão razão, segundo o artista, para que as pessoas odeiem os sírios. “Essa política me preocupa porque cria a tensão que vi em meu próprio país e que levou a mais violência.”

Vejam abaixo alguns dos trabalhos de Akil. A imagem no topo deste post, unindo uma fotografia de terroristas com a propaganda de Trump, é também dele. Há mais exemplos em seu blog e em sua conta oficial no Twitter.

"Ódio alimenta ódio", de Khaled Akil. Crédito Reprodução
“Ódio alimenta ódio”, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
"Máscaras negras ou máscaras brancas", de Khaled Akil. Crédito Reprodução
“Máscaras negras ou máscaras brancas”, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
"Pokémons vão a Aleppo", por Khaled Akil. Crédito Reprodução
“Pokémons vão a Aleppo”, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
"Réquiem pela Síria", de Khaled Akil. Crédito Reprodução
“Réquiem pela Síria”, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
"Os não mencionados", de Khaled Akil. Crédito Reprodução
“Os não mencionados”, de Khaled Akil. Crédito Reprodução