Mulheres sauditas dançam e andam de skate em vídeo; música é celebrada em países árabes

Por Diogo Bercito

Mulheres não podem dirigir na Arábia Saudita, uma proibição frequentemente lembrada como exemplo da rigidez desse reinado conservador. Mas, em um clipe lançado no mês passado, elas fazem isso e um bocado mais — andam de skate, vão ao carrossel, jogam basquete e dançam. A produção, do saudita Majed al-Esa, teve mais de 3 milhões de visualizações em duas semanas.

Os homens aparecem, nas imagens, como figuras opressoras tentando conter as mulheres. Para o efeito, são filmados de baixo para cima. Um trecho da música pede que os homens entrem em extinção.

O vídeo “Hwages” (preocupações, em árabe) tornou-se um assunto de intenso debate na Arábia Saudita e no restante dos países de cultura árabe, sendo celebrado como sinal de que a sociedade está se transformando, ainda que devagar. A divertida produção, em que as mulheres aparecem de tênis coloridos e em papéis inesperados, foi elogiada por Amera al-Taweel –ex-mulher do príncipe Al-Waleed bin Talal– e pelo tradicional jornal local “Al-Bilad”.

Segundo o jornal americano “Washington Post”:

Talvez a referência mais óbvia esteja no início do vídeo, quando as mulheres se amontoam na parte de trás de um veículo enquanto um garoto toma o volante. Na Arábia Saudita, é claro, as mulheres estão proibidas de dirigir e são incapazes de ter licenças de condução. Apesar de que algumas mulheres dirigem mesmo assim, em especial membros de comunidades beduínas e aquelas nas províncias ao sul, essa questão se transformou em um ponto fundamental para os direitos das mulheres no país.

O clipe de “Hwages” faz também uma crítica ao republicano Donald Trump, que aparece em desenhos caricatos como líder do país “Casa dos Homens”. Para o “Daily Beast”, a mensagem aos EUA é clara: seu presidente eleito não é tão diferente dos opressores do reino saudita.

O artista saudita Majed al-Esa foi responsável por outro clássico árabe, o vídeo “Barbs”, lançado em dezembro de 2015. A dança desajeitada virou uma febre na região — e dois homens foram presos nos Emirados Árabes Unidos por imitar a coreografia com uniforme militar. “Barbs” já teve quase 40 milhões de visualizações. O vídeo está abaixo, para quem quiser ensaiar.