Criticando o governo, banda egípcia divulga clipe de sua última canção

Por Diogo Bercito

A banda egípcia Cairokee divulgou no fim de semana o clipe de “Última Canção”, seu mais recente trabalho. Com uma letra abertamente crítica ao governo do presidente Abdel Fattah al-Sisi, a canção foi vista por centenas de milhares de pessoas e compartilhada nas redes sociais. “Se essa for minha última canção, cantarei sobre liberdade. Cante comigo em voz alta: Liberdade!”.

Segundo o jornal egípcio “Ahram”, a banda Cairokee foi criada em 2003 e ganhou fama em 2011, quando multidões foram às ruas protestar contra o regime do então ditador Hosni Mubarak. À época, o grupo gravou o single “Sawt El Horriya” (a voz da revolução). O governo caiu nos dias seguintes.

A revolução egípcia passou, desde então, por diversas mudanças de rumo. A organização islamita Irmandade Muçulmana foi eleita à Presidência em 2012 e, um ano depois, foi derrubada por novas manifestações populares, com o apoio do Exército. Após um período de transição, o país elegeu o militar Sisi para liderar o país.

“Última Canção” é uma crítica à atual conjuntura política do país, onde organizações em defesa dos direitos humanos têm denunciado desaparecimentos e detenções de ativistas. O escritor Ahmed Naji foi recentemente condenado a dois anos de prisão por menções ao sexo em seu livro “Usando a Vida”.

A banda Cairokee critica em sua canção, em especial, a cultura do medo no país –e diz ser a voz que não se cala. Um trecho da música:

Minhas palavras não são apenas contra o regime, mas contra os escravos também. Se centenas de milhares de regimes caírem, ainda estaremos no mesmo lugar. Há coisas, questões e tradições que se tornaram defeitos, e hábitos que precisam ser mudados. E a história está se repetindo.

A banda egípcia Cairokee. Crédito Divulgação