Países de maioria muçulmana detestam o Estado Islâmico

Por Diogo Bercito

Diante da islamofobia que ronda ataques terroristas como o da semana passada, em Paris, a afirmação é necessária: organizações como o Estado Islâmico não têm o apoio da população muçulmana. O auto-proclamado califado é um movimento radical apoiado por uma minoria, entre um total de 1,5 bilhão de muçulmanos ao redor do mundo.

Essa informação é confirmada pela pesquisa divulgada na quarta-feira (18) pelo Pew Research Center: em nações com populações muçulmanas significativas, há muito desdém em relação ao Estado Islâmico. Em todos os países estudados, a visão predominante é desfavorável. Apenas no Paquistão o cenário é menos conclusivo, já que a maior parte dos entrevistados afirmou não saber o que responder.

Resultados gerais da pesquisa do Pew Research Center.

No Líbano, por exemplo, 100% das pessoas ouvidas pelo Pew Research Center afirmaram ter uma visão negativa do Estado Islâmico. O centro de pesquisas ouviu mil pessoas ali, entre 7 de abril e 5 de maio. Outros dez países participaram da investigação.

Resultados de acordo com religião, etnia e região.

Na tabela detalhada dos resultados, é possível entender melhor as respostas dos libaneses. Um porcento deles afirmou ter uma visão “um pouco desfavorável”, e os 99% restantes optaram por “bastante desfavorável”. Os resultados são diferentes, por exemplo, nos territórios palestinos: bastante favorável (1%), um pouco favorável (5%), um pouco desfavorável (15%) e muito desfavorável (69%).

Tabela detalhada com os resultados da pesquisa. Clique para ver uma versão ampliada.

O país que apresentou uma visão mais favorável ao Estado Islâmico foi a Nigéria, com 7% das pessoas respondendo ter uma visão “bastante favorável”. Mas mesmo ali 66% tinham visões desfavoráveis em relação à organização terrorista.

Interessados no levantamento do Pew Research Center podem consultar a metodologia utilizada.