Declaração de Netanyahu sobre Holocausto vira chacota na internet

Por Diogo Bercito

Depois de ser criticado por líderes políticos devido à afirmação de que foram os palestinos quem tiveram a ideia do Holocausto, o premiê israelense Binyamin Netanyahu foi ridicularizado pela internet em uma série de imagens e vídeos espalhados pela rede.

A revista digital +972, que leva o nome do DDI israelense, compilou algumas dessas brincadeiras. Mas os tais “memes”, essas imagens instantâneas da internet, se reproduziam descontroladas durante esta quinta-feira (21). Em uma das montagens, por exemplo, Hitler diz: “Você sabe como é. Uma hora você gosta de judeus, então você conhece um mufti, e yada yada yada: Holocausto”.

Em outra imagem, o mufti palestino Haj Amin al-Husseini é creditado pela separação dos integrantes dos Beatles.

Grão-Mufti de Jerusalém entre integrantes dos Beatles. Crédito Reprodução/972mag
Grão-Mufti de Jerusalém entre integrantes dos Beatles. Crédito Reprodução/972mag

Amir Kaufman, co-fundador da revista +972, publicou uma série de paródias em sua conta oficial no Twitter usando o hashtag #OMuftiMudouMinhaOpinião. Por exemplo:

O cartunista brasileiro Carlos Latuff, por sua vez, ilustrou um judeu com roupas típicas dos campos de concentração segurando um livro de história e puxando a orelha do premiê Netanyahu. “O quê? Vá estudar!”, ele grita. Saindo de uma fenda no chão, envolto em chamas, Hitler completa: “Valeu, Bibi”.

Charge do brasileiro Carlos Latuff. Crédito Reprodução
Charge do brasileiro Carlos Latuff. Crédito Reprodução