Charge mostra Obama recebendo Putin no “atoleiro” da Síria

Por Diogo Bercito

O controverso portal Middle East Eye publicou nesta segunda-feira (5) uma ilustração do brasileiro Carlos Latuff sobre os recentes avanços no conflito sírio, onde mais de 200 mil pessoas já foram mortas desde março de 2011. O desenho retrata a entrada da Rússia no que Latuff descreve como o “atoleiro” da Síria.

A ilustração imita uma capa de gibi, como aqueles em que surgiram super-heróis icônicos como o Superman e o Batman. Um selo imita o antigo aviso de que a história estava autorizada pelos censores do Comics Code Authority. Com uma torção –Latuff diz que sua HQ foi aprovada pela “nova ordem mundial”. Outro detalhe é o preço do gibi: milhares de vidas.

A crítica de Latuff —figura polêmica no ramo da charge política— sugere que a intervenção russa está fadada a prolongar-se ali, como a americana. Vladmir Putin, presidente da Rússia, salta desnudo em um lago de sangue onde já se afundam rebeldes, militantes do Estado Islâmico e o ditador Assad, além do presidente americano Barack Obama.

O preço dessa lama é pago pela população síria, bombardeada por todos os lados, como escreveu recentemente a repórter da Folha Patricia Campos Mello. Em outra análise, Ricardo Bonalume Neto sugeriu que a intervenção russa pode cristalizar várias “pequenas sírias”. Para Igor Gielow, diretor da sucursal de Brasília da Folha, a Rússia “começa o jogo na dianteira” nessa ação militar.