Comunidade brasileira lança revista on-line em Beirute

Por Diogo Bercito
A equipe do "Connection Beirut". Crédito Divulgação
A equipe do “Connection Beirut”. Ao centro, de saia amarela, a idealizadora Viviane Carvalho. Crédito Reprodução

Foi lançada na terça-feira (16), no Centro Cultural Brasil Líbano, a revista on-line “Connection Beirut”. O projeto, capitaneado pela engenheira civil brasileira Viviane Carvalho, tem como objetivo cumprir o próprio nome: conectar em Beirute a comunidade de brasileiros, libaneses e brasileiro-libaneses.

A revista, já no ar, tem versão em português e em inglês. Há também uma comunidade no Facebook. O destaque da estreia é a entrevista com o embaixador brasileiro no Líbano Jorge Kadri, descendente de libaneses. Na conversa com o “Connection Beirut”, Kadri afirmou que um de seus objetivos no posto é incentivar o comércio entre Brasil e Líbano, hoje na ordem de US$ 350 milhões com saldo positivo ao Brasil.

Com a assinatura de um acordo entre Mercosul e Líbano, por exemplo, o país árabe “poderá exportar azeite de oliva e vinho para os países do bloco comercial sul-americano com vantagens comparativas, dando início a uma nova fase no comércio entre o Brasil e o Líbano”, segundo o embaixador.

Página inicial do "Connection Beirut". Crédito Reprodução
Página inicial do “Connection Beirut”. Crédito Reprodução

As reportagens que já estão disponíveis para a leitura no site incluem temas como vestidos de noiva e cirurgia plástica, mais do que a política regional. Segundo Carvalho, em seu editorial, uma de suas metas é “contar a história dos talentos da comunidade brasileira”.

A revista visa apoiar e divulgar os talentos locais. Sendo assim, neste mês a coluna Connection Comunidade apresenta a trajetória de dedicação e determinação da artista Mabel Nakrour, que vem iluminando o Líbano com a arte de produzir velas.

Há cerca de 10 mil brasileiros hoje no Líbano. No Brasil, calcula-se em entre 4 e 7 milhões o número de descendentes de libaneses, fruto da intensa imigração iniciada no fim do século 19. Entre esses, estão importantes nomes da política brasileira, como o vice-presidente Michel Temer (cuja família vem do povoado de Btaaboura) e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (descendente do célebre padre libanês Habib al-Haddad).