Shakira curda lança videoclipe contra Estado Islâmico

Por Diogo Bercito
Helly Luv em cena de seu clipe "Revolution". Crédito Reprodução
Helly Luv em cena de seu clipe “Revolution”. Crédito Reprodução

Com cabelo vermelho e sapato de salto alto dourado, coberta por um pano tradicional, uma misteriosa mulher desafia um blindado do Estado Islâmico na cidade curda de al-Kharz. Seus dedos são enfeitados por anéis em formato de rifles. Explosões, pessoas fugindo da batalha. Caos, pânico e desordem. Ela começa, então, a cantar.

O videoclipe de Helly Luv, 26, lançando sua canção “Revolution”, é um dos novos hits da linha de combate entre o Exército curdo e os militantes do Estado Islâmico. A artista, nascida no Irã de uma família curda, insistiu em gravar o clipe em um local próximo à guerra para incentivar os soldados dessa região curda.

“Eu queria dar alguma coisa ao Peshmerga [o Exército curdo] porque me considero como um deles”, ela disse à agência de notícias francesa AFP em Erbil, a capital regional curda no Iraque. Helly Luv é frequentemente comparada à colombiana Shakira.

Há alguma coisa de incoerente no clipe, porém. Helly Luv carrega, na cena de abertura, uma faixa pedindo o fim da violência. Mas os sete minutos de música são ilustrados por intenso combate, louvando os esforços das forças curdas em combater o Estado Islâmico. Um dos momentos-chave do vídeo é a destruição de um blindado terrorista.

O clipe de “Revolution” tinha, nesta terça-feira (16), mais de 800 mil visualizações. É possível assistir às imagens no vídeo acima ou clicando neste link.